domingo, 18 de abril de 2010

PIMENTA DA COSTA, PIMENTA DA GUINÉ OU PIMENTA DE NEGRO


Pimenta da guiné (Amomum melegueta)
Espécie: cardamomos
Origem: África
Planta africana, de nome original kimba-kumba, cujas sementes têm ardor de pimenta, introduzida na culinária baiana pelos nagôs. Esta especiaria da família dos cardamomos tem um gosto picante e apimentado e substituía a pimenta quando esta tinha preços muito caros. Os grãos são as sementes de uma planta que parece um caniço, atingindo 2 metros de altura, e são extraídos da polpa amarga do fruto e secados antes da consumação. Originária da Costa Ocidental da África, do litoral do Golfo da Guiné, é conhecida em Sierra Leone e Congo com o nome de malagueta, ou grão do paraíso, mas este nome muitas vezes também indica o cardamomo, principalmente em receitas medievais. Levada pelo Saara, partiu para a Europa via Trípoli. Seus primeiros exportadores foram os árabes e, depois, os mercadores portugueses. No passado, os grãos eram utilizados para condimentar vinhos e cervejas, e, no século XVII, eram conhecidos por suas propriedades tonificantes. Hoje, são pouco usadas na Europa, mas ainda muito difundidas na África Ocidental e no Maghreb, principalmente para condimentar pratos de carneiro na brasa, batatas e berinjelas. Seu uso medicinal demonstra que diminuem flatulência e têm efeitos diuréticos e estimulantes. Muito usada na medicina africana e veterinária. Difere inteiramente das pimentinhas, que no Brasil, denominam-se malaguetas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário